Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 27 DE FEVEREIRO DE 2015

Email
HOME
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  26/02/2015   Lei dos Caminhoneiros sem vetos é um erro e acidentes vão aumentar, alerta associação - Governo decidiu aprovar o projeto na tentativa de...     26/02/2015   Chove no Cantareira e nível do sistema passa de 10,8% para 11,1% - Rodízio pode não ser necessário, mas não está descartado, diz Sabesp. ...     26/02/2015   Concessionárias criticam sanção sem vetos da Lei dos Caminhoneiros - Caminhoneiros interditaram rodovias em protesto em 14 estados. Para ...     26/02/2015   Multas vão identificar caminhoneiro que bloquear estrada, diz ministro - Cardozo afirma que PF abrirá inquérito para apurar abusos em rod...     26/02/2015   Com equipe maior para atender acidentes, Porto de Paranaguá faz simulação - A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) pro...     26/02/2015   Concer recomenda prudência redobrada na subida da Serra de Petrópolis - A Concer recomenda prudência aos motoristas que forem trafegar na...     26/02/2015   Nota da CART - liberação do tráfego no km 4426 da Rosovia Raposo Tavares - O tráfego está totalmente liberado na altura do km 426 da SP-2...     26/02/2015   Governo atrasa pagamentos em obras do PAC - Até construtoras de porte médio que não são investigadas pela Lava Jato dizem que estão sem r...     26/02/2015   Empresas estão de olho no seu telhado - Geração distribuída de energia começou a se desenhar no Brasil como negócio em 2012.     26/02/2015   Cicloativistas devem indicar três representantes para gerir fundo cicloviário do município - Representantes de movimentos em prol do tran...  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

07/07/2009

Transporte rodoviário internacional de cargas é destaque de Encontro do Parlamento do Mercosul

Mercosul / Cone Sul

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

6

2 votos

Parlamentares e autoridades de trânsito do Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai já estão confirmados para participar de evento da Comissão de infraestrutura e transporte do Parlamento do Mercosul.

Também foram convidados representantes da  Venezuela, Chile e Equador, além de líderes de sindicais do setor de tranporte de cargas

II Encontro de Segurança no Trânsito do Mercosul,   no dia 10 de julho de 2009, a ser realizado no auditório do SETCERGS - Transporte & Logística, Av. São Pedro, 1420 - 3° andar,  em Porto Alegre (RS). A  solenidade de abertura do evento ocorrerá às 9 horas.  

O objetivo do encontro é a discussão da harmonização das legislações de trânsito dos Estados Partes visando regulamentar e unificar itens básicos na Legislação, prevenindo a desburocratização da livre circulação de pessoas, cargas e passageiros.  

O tema é importante devido às dificuldades enfrentadas pelo transporte internacional de cargas (existem 602 empresas brasileiras que operam no transporte rodoviário internacional) e passageiros, que encontra obstáculos na morosidade operacional das aduanas e nas diferentes exigências de pesos, medidas, sinalização, cobrança de multas e recursos, habilitação profissional, licenciamento de veículos e demais regras de trânsito.

Em termos de legislação vigente sobre o assunto o Brasil é signatário de um Acordo do MRE sobre Regulamentação Básica Unificada de Trânsito celebrado com a Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai, em 29 de setembro de 1992, promulgado em 03 de Agosto de 1993. Entretanto, apesar deste Acordo Multilateral, verifica-se a importância de internalizar as regras adotando as medidas necessárias para assegurar o cumprimento das leis de trânsito que regem os condutores dos países do MERCOSUL.

Pontos prioritários para serem tratados na discussão da harmonização das legislações de trânsito dos Estados Partes visando regulamentar e unificar itens básicos na Legislação:

- normativas de cada país (explanação dos órgão executivos de trânsito);

- luzes dos veículos (alguns países exigem luzes acesas durante o dia);

- uso de capacete e cinto de segurança;

- seguro obrigatório;

- política de combate ao álcool;

- emissão e cobrança de multas a condutores/veículos estrangeiros;

- registro de veículos e licença aos condutores;

- questão do combate ao excesso de velocidade;

- educação para o trânsito - direção defensiva;

- metas a serem atingidas na diminuição de acidentes

- sinalização de trânsito;

- unificação de pesos e medidas dos veículos de carga no Mercosul.

Já no dia 11 de julho, ocorrerá, no mesmo local, Audiência Pública da Comissão de Infraestrutura, Transporte, Recursos Energéticos, Agricultura, Pecuária e Pesca do Parlamento do Mercosul sobre o tema “Problemas e Conflitos no Transporte de Carga no MERCOSUL”. O objetivo da audiencia é abordar a situação do transporte internacional de cargas, no âmbito do Parlamento do Mercosul, com a participação de entidades do setor representativas de cada país.

A audiência terá uma exposição do Senhor Jorge Frizzo, presidente do SINDIMERCOSUL, que encaminhou ofício a comissão no qual denunciou "tratamento abusivo dispensado pelas autoridades policiais da província de Entre Rios, com aplicação de pesadas multas que visam punir infrações mínimas ou inexistentes".

Saiba mais:

Segundo informações recebidas da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística), Brasil (dados de 2008) possui 602 empresas que operam no transporte rodoviário internacional de cargas habilitadas  pela Agência Nacional de Transportes Terrestres. A frota dessas empresas credenciadas para operação é de 55.715 veículos. A idade média dessa frota é de 20 anos.

O transporte rodoviário internacional de cargas é responsável pelo transporte de 58% das mercadorias comercializadas na Região (Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai, Uruguia, Peru e Venezuela). São 21 pontos de fronteira com esses países.

A frota brasileira responde com 50% dos veículos habilidtados para o transporte internacional por todos os países.

Por mês, nos 14 pontso de fronteira (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) cruzam em média, 37.000 veículos.

Desde qua foi firmado o início do Tratado de Assunção, são discutidos entraves para a integração entre os países membros do refrido Tratado.

Na América do Sul, o processo de integração do trasporte começou na segunda metade da década de 60, com as neegociações  na área do transporte rodoviário de cargas e de passageiros. Em 1990, foi assinado o ACORDO SOBRE TRANSPORTE INTERNACIONAL TERRESTRE - ATIT, pela Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai, Peru e Uruguai, internalizado pelo Brasil, por meio do DECRETO Nº 99.704/90, visando promover a integração dos respectivos países signatários.

O transporte é estratégico

O desempenho do setor de transporte guarda direta correlação com o parão de desenvolvimento da economia, na medida em que, dentre outros aspectos: incrementa a produtividade do próprio setor e busca maior eficiência na alocação de recursos; apóia as estratégias setoriais, dando curso ao processo de eficiente integração dos parques industriais; contribui para a ampliação das explortações e das importações; garante o desenvolvimento tecnológico; estimula a participação crescente da iniciativa privada; e gera encomendas dos setores da construção civil, engenharia consultiva e bens de capital.

A análise do setor de transporte rodoviário de cargas demonstra que os altos custos financeiros, a falta de condições para financiamento de compra de equipamentos, o estado precário da malha viária, a falta de equipamentos, o estado precário da malha viária, a falta de investimentos na modernização das empresas, alto custo de seguro, dentre outros fatores, acabaram favorecendo a falta de competitividade entre as empresas brasileiras e estrangeiras (as empresas argentinas contam com plano de renovação de frota, com juros reais de 6,5% a.a., com redução de 2% na forma de retorno de imposto sobre o combustível).

Outras questões da relação Brasil / Argentina:

- assimetria no preço do diesel;

- roubo de cargas - em trânsito aduaneiro, quando o veículo sogre o roubo, à mão armada, é exigido da transportadora os impostos suspensos dessa carga.

- pesos e dimensões - foi fixada altura máxima dos veículos de carga em 4,30 metros. No entanto, os veículos brasileiros já trafegam com altura de 4,40 m. No Brasil o comprimento dos veículos de carga é de 18,15 m. Já na Argentina é de 18,60m.

O ponto de maior incidência de multas é na Ruta 14, localidade de Gualeguaichu, Província de Entre Rios. Os veículos lá são medidos e, no ato, é lavrado o auto de infração, com a agravante do pagamento imediato para a sua liberação. Tal procedimento contraria a prerrogativa de pagamento a posteriori como o previsto no inciso 2, art. 9º, do Acordo sobre Transporte Internacional Terrestre, Decreto nº 99.704/90.

Há mais um agravante quanto a essa Província argentina: o Decreto nº 1962/MGJEOSP, de 25/04/2006, da Província de Entra Rios, que dispõe na letra d, item c, art. 3: "Em caso de vehiculos de procedência extranjera, las contravenciones coetidas em território entrerrioano, deberán abonarse antes de abandonar el mismo"". Tal situação configura-se em total descompasso com os dispositivos do ATIT.

As multas de trânsito poderão ser pagas pelos representares das empresas, conforme dispõe o item 2, do art. 9º "Não obstante, o representante legal a que se refere a letra b do artigo 24, será solidariamente responsável pelo pagamento das multas aplicadas aos condutore dos veículos que houverem cometido infração de trânsito...". Dessa forma, foi solicitado aos representantes da ANTT gestões junto às autoridades de transporte da Argentina no sentido de cumprirem ao ATIT.

 

Por Jornalismo Setcergs - Wagner Dilélio

 

Qual a sua avaliação?

0 Comentários - Faça o seu comentário

Voltar

Recomendar   Imprimir

Clique para ampliar

Leia Também

Aliança Navegação e Logística lança novo serviço para o Mercosul

Itaipu está "preparada para o pior", afirma presidente da usina

Zona franca uruguaia mira mercado brasileiro

Reajuste da gasolina faz motoristas de SC abastecerem na Argentina

AES Uruguaiana retoma operação nesta quarta

Confira o posicionamento da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias sobre a PL 4.246/12 (Lei dos Caminhoneiros)

Lei dos Caminhoneiros sem vetos é um erro e acidentes vão aumentar, alerta associação

Chove no Cantareira e nível do sistema passa de 10,8% para 11,1%

Concessionárias criticam sanção sem vetos da Lei dos Caminhoneiros

Multas vão identificar caminhoneiro que bloquear estrada, diz ministro

Mais...

 

Este site possui suporte ao formato RSS



Notícias em Tempo Real

   

Federasul

Google
Pesquisa personalizada

       

 Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

Intelog - Inteligência em Gestão Logística