Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 28 DE JULHO DE 2016

Email
HOME
QUEM SOMOS
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  27/07/2016   Ampla Energia triplica prejuízo no 2º trimestre, para R$ 110,3 milhões - A Ampla Energia e Serviços, distribuidora de energia elétrica, c...     27/07/2016   Com novo governo, fundos miram novos investimentos no país - Os setores de infraestrutura, agronegócios, saúde e educação estão na mira d...     27/07/2016   Codesp define em 15 dias detalhes de concurso público - A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) pretende realizar ainda neste a...     27/07/2016   Neblina no Porto causa prejuízo de R$ 807,6 mil - A interrupção de, aproximadamente, 16 horas no tráfego aquaviário do Porto de Santos, n...     27/07/2016   Bunge e AMAGGI ampliam parceria para escoamento de grãos via Corredor Norte - A Bunge e a AMAGGI anunciam que estão ampliando a parceria ...     27/07/2016   Governo estuda rever regras protecionistas do pré-sal, dizem fontes - A maré está virando para as petroleiras estrangeiras que em 2010 vi...     27/07/2016   Exportação pelo porto de Vila do Conde cai 70% em 2016, diz CDP - O funcionamento parcial do porto da Vila do Conde, em Barcarena, no nor...     27/07/2016   A importância de mudar, mesmo vencendo - Onix e Prisma 2017 recebem alterações de estilo e técnicas.     27/07/2016   O mito da crise como explicação para a redução nas mortes no trânsito - Poucas coisas são melhores que reclamar de tudo. Nada está bom. Q...     27/07/2016   Feira Transportar 2016 terá Encontro de Negócios - A 10ª Feira Transportar – Feira de Transporte Intermodal e Logística ocorrerá de 10 a ...  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

03/06/2008

Minério de ferro no Ceará tem produção em escala em xeque

Economia

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

7

3 votos

APG diz que não se pode afirmar existência de reservas de minério de ferro que tornem o Ceará um grande produtor

A viabilidade técnico-econômica da exploração de minério de fero no Ceará está sendo colocada em xeque pela Associação Profissional dos Geólogos do Ceará (APGCE). ´Até o presente momento, não se pode afirmar a existência de reservas de minério de ferro que possam tornar o Estado um grande produtor´, resume o presidente da entidade, o geólogo Fernando Antônio da Costa Roberto, que também é técnico do Departamento Nacional de Produção Mineral no Estado (DNPM/CE).

Segundo ele, exaustivos estudos técnicos para a prospecção de ocorrências minerais levam pelo menos seis anos. ´Antes desse prazo, é pouco provável existir qualquer resposta contundente sobre a existência e a viabilidade econômica de jazidas no Ceará´, sustenta o especialista, que encaminhou carta à imprensa local. ´Este mesmo documento, nós encaminhamos ao presidente da Adece, Antônio Balhmann, para que o Estado não faça uma divulgação equivocada sobre o potencial do Estado´.

O último estudo conclusivo sobre ocorrências minerais no Estado, conforme o presidente da APG-CE, data de 1974, feito por meio de parceria entre o Governo do Estado, mediante convênio com a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). O resultado foi o registro de 42 ocorrências de ferro no Ceará. Outro levantamento, o Cadastro Mineiro do DNPM, constata um total de 150 áreas com requerimento de pesquisa e alvará de pesquisa, além de duas áreas com concessão de lavra, totalizando 152 áreas (processos de mineração) no Estado. Atualmente, apenas duas áreas encontram-se com concessão de lavra e reservas aprovadas pelo DNPM. São áreas nos municípios de Quiterianópolis e Independência, concessão em nome das empresas Carbomil S/A Mineração e Indústria (uma) e Libra -- Ligas do Brasil S/A (uma). ´As áreas estão situadas nas localidades de Serra do Bezerro e São Francisco, com teores de ferro variando de 60,33% a 63,43%. Em 1985, as reservas foram reavaliadas pelas empresas e aprovadas pelo DNPM´.

Quanto às demais áreas, encontram-se nas fases de requerimento e autorização de pesquisa, destacando-se os estudos em Sobral. ´Os trabalhos de pesquisa até agora realizados não foram suficientes para a definição da jazida, isto é, as reservas de minério de ferro não estão cubadas para que possam ser aproveitadas economicamente´. De acordo com Roberto, a Vale pesquisa no Estado há pelo menos seis anos, minério de cobre, precisamente nos municípios de Viçosa do Ceará, Granja, Parambu e Aurora. ´Apenas resultados preliminares dos trabalhos de pesquisa foram apresentados ao DNPM para prorrogação dos Alvarás de Autorização de Pesquisa por mais três anos. A Vale está sim, pesquisando minério de cobre e não minério de ferro. Trata-se de pesquisa de minério de cobre na região de Cococi, Municípios de Parambu e Tauá´, afirma Roberto.

Procurado pela reportagem, o presidente da Adece, Antônio Balhmann, argumentou que nunca disse que o Estado se tornaria um grande produtor de minério de ferro. ´O que aconteceu foi uma mudança de cenário, no qual existe a viabilidade, em função do que já existe, de o Ceará exportar´, diz. Ele afirma que isso ocorre em razão da maior demanda pelo produto por parte da China e da Índia -- cerca de 65% maior em 2007 -- e sua valorização. ´Antes o lastro era baixo´, lembra. ´Não há grande quantidade [de minério de ferro], mas há jazidas no Estado sendo pesquisadas´.

FIQUE POR DENTRO

Viabilidade requer pesquisa por seis anos

A viabilidade técnico-econômica de uma jazida somente está assegurada após um exaustivo trabalho de pesquisa que pode levar até seis anos. Após apresentação do Relatório Final de Pesquisa ao DNPM, o mesmo é analisado com vistoria in loco para confirmar a execução dos trabalhos de pesquisa e análise de sua viabilidade técnica-econômica.

Só assim as reservas de minério são aprovadas, podendo o titular do Alvará de Pesquisa, passar para a fase seguinte que é o Requerimento da Lavra, com apresentação do Plano de Aproveitamento Econômico, que poderá resultar, caso aprovado, na Concessão de Lavra.

 

Por Diário do Nordeste - Fortaleza,CE/Samira de Castro

 

Qual a sua avaliação?

0 Comentários - Faça o seu comentário

Voltar

Recomendar   Imprimir

Clique para ampliar

Leia Também

Nova tarifa de pedágio na RJ 116 começa a valer na segunda-feira

Cresce procura por manutenção de veículos

Geração eólica cresce 53% de janeiro a maio, diz CCEE

Aneel aprova reajuste de cooperativas gaúchas

ANTT reajusta pedágio da Via Dutra e rodovias exploradas por Concebra e Via 040

Ampla Energia triplica prejuízo no 2º trimestre, para R$ 110,3 milhões

Com novo governo, fundos miram novos investimentos no país

Codesp define em 15 dias detalhes de concurso público

Neblina no Porto causa prejuízo de R$ 807,6 mil

Bunge e AMAGGI ampliam parceria para escoamento de grãos via Corredor Norte

Mais...

 

Este site possui suporte ao formato RSS



Notícias em Tempo Real

   

Google
Pesquisa personalizada

       

 Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

Intelog - Inteligência em Gestão Logística